Válido para 13/12/2017
Soja: 
R$ 65,00
Milho: 
R$ 28,00
Trigo PH 78: 
R$ 29,50
Dólar comercial (12/12-17:00): R$ 3,328
 
 
Bolsa de Chicago - Fechamentos da Soja em 12/12/2017
MÊS
US$/Bushel
US$/TON
 VAR
Jan/18:
9,75 3/4
358,54
6,75
Mar/18:
9,87 1/4
362,76
6,75
Mai/18:
9,98 1/4
366,81
7
















A Cotrijuc - Cooperativa Agropecuária Júlio de Castilhos foi fundada em 12 de março de 1950, por iniciativa de 24 produtores rurais, os quais buscavam alternativas para a comercialização da produção de trigo. Neste período, o governo brasileiro começou a estimular o cooperativismo, utilizando-o como instrumento de política agrícola e alternativa de desenvolvimento e modernização agrária.

Desde sua fundação até o início da década de 70 a Cotrijuc apresentou um crescimento gradual, no final da década entrou em expansão a cultura da soja e em menor proporção a do milho. Visando atender a demanda, montou uma equipe para assistência técnica, estruturou a área de comercialização de insumos, ampliou suas estruturas de armazenagem, produção de sementes e depósitos para fertilizantes e defensivos. Iniciou atividades nas áreas de supermercados, peças e equipamentos, farmácia veterinária, posto de combustíveis e moinho de trigo e milho, fora da sede, mas dentro da sua área de ação, montou unidades em diversos locais. Em 1979 com o objetivo de aumentar a integração e participação do quadro social foram criados 25 núcleos nas comunidades da região, sendo que dois líderes eleitos pelos associados de cada núcleo passaram a formar o Conselho Consultivo. Este conselho é o elo de ligação entre os cooperados e administração da Cotrijuc.

No início da década de 80, a Cotrijuc intensificou as atividades na área de leite e construiu um posto de recebimento e resfriamento, e ainda, adquiriu uma área onde foi realizado florestamento em 60 ha., para atender a demanda de lenha dos secadores de grãos.

Na década de 90, medidas governamentais restringiram os recursos para custeio das lavouras, assim, a Cotrijuc utilizou recursos próprios e o crédito junto aos fornecedores para o financiamento das lavouras dos cooperados. No entanto, frustrações na colheita impossibilitaram o retorno de alguns empréstimos e a cooperativa passou por uma crise. Como medidas para a retomada do crescimento, as dívidas foram renegociadas, ocorreu fusão de alguns setores, enxugamento de processos e terceirização dos serviços de assistência técnica. O aumento da escala dos negócios exigiu, a partir de 2002, investimentos em infraestrutura de recebimento, armazenagem e qualificação do quadro de funcionários, gestão pela qualidade e melhoria da informatização. Foram adquiridas as unidades de Val de Serra, Alto Toropi, São Martinho da Serra, recomprada a Unidade do Ivaí, e ainda, ampliadas as estruturas da Sede e do Alto Toropi através da apliação da capacidade estática de armazenagem que passou de 723 mil sacas em 1995 para 1.748 mil sacas em 2008.

Em 2007 a razão social da Cotrijuc mudou de Cooperativa Tritícola de Júlio de Castilhos Ltda. para a atual, esta alteração atendeu as orientações do Novo Código Civil Brasileiro que entende que as cooperativas são um tipo societário específico.

Em 2010 a Cotrijuc conquistou sentença favorável no Supremo Tribunal Federal para a ação que discutia a inconstitucionalidade da retenção do Funrural dos produtores empregadores, tal ação beneficiou os médios e grandes cooperados. Também obteve a DAP Jurídica, que trouxe benefícios aos cooperados provenientes da agricultura familiar. 2011 foi o ano em que esses benefícios foram consolidados, e amplamente repassados aos produtores rurais, associados à cooperativa. A fim de aumentar a eficiência no recebimento de grãos, em 2013, foram instalados três tombadores, nas unidades de Alto Toropi, Itaúba e Val de Serra; e em 2014 outros três em Quevedos, Ivaí e São Martinho.

Em 14 de março de 2014 foi inaugurada a Unidade Cezar Libindo Vianna, para recebimento de grãos em Quevedos, a escolha do nome é uma homenagem à memória deste cooperativista, e referência ao empenho pessoal do presidente em exercício em concretizar essa nova Unidade de Recebimento de Grãos, assim, fora inaugurada com o nome de seu pai.

O ano de 2015 foi marcado pela comemoração dos 65 anos da Cotrijuc e pela sua expansão através da inauguração da Unidade Pinhal Grande, no dia 10 de março, destinada para o recebimento de grãos e comercialização de insumos, também a locação da unidade da Camera em São Valentim, distrito de Santa Maria. Com isso, a capacidade estática de armazenagem da cooperativa ultrapassou os 2.4 milhões de sacas.


Sócios fundadores:
Albino José Rubim, Álvaro Escobar Guimarães, Amadeo Rubin, Antonio Carlos Pimenta, Atílio Cedin, Atílio Lago, Bernardino Salles, Carlos Francisco Batistela, Donato Marques da Rosa, Francisco de Souza Mascarenhas, Horácio Caio Pereira de Souza, Jorge Mascarenhas, José Antonio O. Barros, Julio Caio Pereira de Souza, Juracy Appel Edler, Juvenal Dias da Costa, Lourenço Gomes, Luiz Barros Salles, Pedro Stefanello, Saulo Salles de Barros, Tasso Castilhos Lopes, Victor Waihrich, Walter Hugo Biavaschi e Wladimir Corrêa de Mello.


Presidentes da COTRIJUC:
1950 a 1958 - Juvenal Dias da Costa
1958 a 1963 - Walter Hugo Biavaschi
1963 a 1967 - Bruno Schoroeder
1967 a 1968 - Mário Tofoli Culau
1968 a 1977 - Benhur Banolas
1977 a 1979 - Francisco José Salles de Barros
1979 a 1984 - José Luiz W. Leal
1984 a 1986 - Domingos José Almeida Mascarenhas
1986 a 1988 - José Luiz W. Leal
1988 a 1992 - Walter Hugo Biavaschi Filho
1992 a 2010 - Aldo Michelon
2010 a 2018 - Caio Cezar Fernandez Vianna


 

COTRIJUC - Cooperativa Agropecuária Júlio de Castilhos
Rua Coronel Severo Barros, 247 - Bairro Santa Isabel
Júlio de Castilhos - RS - Brasil - CEP: 98130-000
Telefone: (55) 3271-9300 - Fax: (55) 3271-9301