Daily Archives

21 de fevereiro de 2018

  • Após máximas em 7 meses, soja tem leve realização de lucros na Bolsa de Chicago nesta 4ª

    O mercado internacional da soja tem leve realização de lucros na manhã desta quarta-feira (21). Após as boas e fortes altas das última sessões, os futuros da oleaginosa perdiam entre 0,25 e 1,75 ponto entre as posições mais negociadas, com o maio/18 ainda valendo US$ 10,36 por bushel, por volta de 8h15 (horário de Brasília).

    As correções chegam, porém, segue o foco dos traders sobre o preocupante cenário climático na Argentina. As poucas chuvas têm sido insuficiente para desfazer o sentimento do mercado de que a nova safra do país esteja realmente ameaçada.

    Além disso, o mercado bateu em suas máximas em sete meses no pregão anterior.

    O principal questionamento que o mercado se faz agora, porém, é de quanto menor será a colheita argentina, como explicam analistas e consultores de mercado. Além disso, as dúvidas se estendem ainda para quanto o produção de farelo – da qual a Argentina é principal produtora e exportadora mundial – também será comprometida.

    A demanda também tem sido acompanhada muito de perto pelos investidores, já que há expectativas de que o gap que será deixado pela Argentina poderia trazer os compradores a olharem com mais atenção para os produtos norte-americanos.

    Atenção ainda ao caminhar do dólar, especialmente no cenário externo. O index, na manhã de hoje, sobe 0,18% para 89,81 pontos.

    Fonte: Notícias Agrícolas

  • OIE aceita declarar Brasil livre da aftosa com vacinação, diz Maggi

    Segundo o ministro, a declaração deve ser oficializada entre os dias 20 e 25 de maio.

    O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, informou nesta terça-feira (20/2), que a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) aceitou a proposta do Brasil de se tornar um país livre de febre aftosa com vacinação.

    Em um vídeo, publicado em sua conta no Twitter, Maggi disse que a declaração deve ser oficializada entre os dias 20 e 25 de maio, durante reunião da OIE, em sua sede em Paris, na França. “Isso é um pleito antigo, são mais de 60 anos de luta de vários governos e lideranças da pecuária nacional que trabalharam muito para chegar nisso”, diz o ministro.

    No vídeo, ele afirmou, ainda, que convidou o presidente Michel Temer para a reunião. “A partir daí vamos trabalhar para declarar o Brasil livre de febre aftosa sem vacinação, o que deverá ocorrer por 2022 ou 2023”, acrescentou.

    O Brasil já tem a maior parte do seu território declarado livre da doença com vacinação, porém, regiões do Amazonas, Amapá e Pará alcançaram esse status recentemente, o que possibilitaria a classificação nacional. A exceção é o Estado de Santa Catarina, que é considerado livre da doença sem vacinação.

    Fonte: Estadão Conteúdo