Daily Archives

13 de novembro de 2018

  • Milho: Em Chicago, mercado testa leves perdas na manhã desta 3ª feira após valorizações observadas recentemente

    Nesta terça-feira (13), as principais posições do milho negociadas na Bolsa de Chicago (CBOT) testam ligeiras perdas. Às 8h42 (horário de Brasília), os vencimentos da commodity recuavam entre 1,00 e 1,25 pontos. O contrato dezembro/18 era cotado a US$ 3,70 por bushel, enquanto o março/19 trabalhava a US$ 3,81 por bushel.

    O mercado recua após encerrar o dia anterior com leves ganhos apoiado pelas valorizações mais expressivas observadas nos futuros do trigo. De acordo com informações das agências internacionais, as cotações do milho operam de maneira técnica e aguardam por novas informações.

    Ainda hoje, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz seu boletim semanal de embarques e pode influenciar o andamento das negociações. O órgão ainda atualiza os dados do andamento da colheita no país, que até a semana anterior estava em 76%.

    Fonte: Notícias Agrícolas

  • Soja: Mercado em Chicago testa leves ganhos nesta 3ª feira, mas segue no aguardo de novidades

    Nesta terça-feira (13), os preços da soja sobem levemente na Bolsa de Chicago. As cotações, por volta de 8h (horário de Brasília), subiam pouco mais de 2 pontos entre as posições mais negociadas, com o janeiro/19 valendo US$ 8,85 por bushel.

    A exceção era o novembro/18, que já sai da tela nos próximos dias, e o vencimento perdia 0,25 ponto, sendo cotado a US$ 8,71.

    Segundo explicam analistas internacionais, a semana começou com baixo interesse especulativo, com os traders esperando, mais uma vez, por novidades que possam mexer com as cotações de forma mais intensa.

    “A ARC acredita que nesta semana estes fundos irão alavancar as posições vendidas, que hoje somam 45mil contratos líquidos na soja. A reversão deste cenário demanda novidades positivas sobre o acordo comercial EUA-China”, dizem os analistas da ARC Mercosul.

    As atenções, portanto, seguem voltadas para o próximo encontro do G20, que acontece na Argentina, no final do mês, e onde se encontram Donald Trump e Xi Jinping para uma nova rodada de discussões.

    Nesta terça-feira, o mercado espera também pelos novos dados do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) sobre os embarques semanais de grãos norte-americanos, bem como do desenvolvimento da colheita no país, estas informações chegando, somente após o fechamento do mercado.

    Fonte: Notícias Agrícolas

  • Aplicativo reconhece pragas em cultivos

    Um aplicativo para celular projetado por estudantes de Engenharia Agrícola da Universidade Nacional da Colômbia auxilia os agricultores no reconhecimento de pragas e cultivos. De acordo com os desenvolvedores da nova ferramenta, a tecnologia já está disponível para download em dispositivos móveis com sistema operacional Android e Windows Phone.

    Segundo o estudante Richard Alejandro Moreno, o “Plagapp” terá um sistema de reconhecimento de imagens com o objetivo de gerar um sistema para que os agricultores possam identificar a praga que está danificando suas lavouras e encontrar as indicações necessárias para eliminá-la. “Por meio de diferentes métodos, como thresholding, abertura, fechamento e aplicação de filtros, entre outros, as características mais relevantes da imagem foram extraídas para automatizar seu reconhecimento”, afirmou Moreno.

    Depois de identificar essas particularidades, as amostras foram classificadas por um método supervisionado conhecido como “classificador bayesiano”, que é baseado no cálculo da incidência das características de uma amostra e na probabilidade de pertencer a uma determinada classe. Assim, por exemplo, quando um agricultor tira uma foto de uma praga, o classificador permite calcular quanto coincide com uma das espécies para determinar qual indivíduo é.

    O objetivo é que o software detecte e relate o nome da praga analisada, para fornecer dados sobre seu tamanho, formas de erradicação, ciclo de vida e reprodução, entre outros dados úteis para o agricultor. Na aplicação, o agricultor também pode preencher um formulário indicando o número de plantas que ele observou em sua safra e quantos deles são afetados, de modo que a aplicação irá informá-lo da incidência percentual da praga na área analisada.

    Fonte: Agrolink

  • INTACTA 2 XTEND® será apresentada em campo pela primeira vez

    Pela primeira vez, os sojicultores brasileiros poderão conhecer em campo a nova tecnologia para soja da Bayer, a INTACTA 2 XTEND®, com lançamento previsto no país para a safra 2021/2022. De novembro de 2018 a janeiro de 2019, os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Bahia receberão o projeto Gigantes da Soja, em que a Bayer abrirá seus campos de testes da tecnologia às visitas de produtores, consultores, técnicos de campo e pesquisadores

    Os dias de campo terão formato inovador e tecnológico e apresentarão com mais clareza como a plataforma auxiliará o agricultor num controle mais amplo de plantas daninhas, proteção às principais lagartas da cultura da soja e como ela elevará a produtividade das lavouras brasileiras a um outro patamar.

    “Durante o evento, vamos mostrar aos sojicultores de cada uma dessas seis regiões, todos os benefícios e diferenciais que a tecnologia INTACTA 2 XTEND® levará ao mercado. E tudo isso de maneira interativa e diferente do que foi visto nas feiras este ano. Eles também poderão tirar dúvidas e saber como esta nova biotecnologia impactará seu dia a dia e, claro, aumentará sua produtividade”, conta o líder de lançamento da nova tecnologia para soja da Bayer, Fábio Passos.

    Com previsão para lançamento comercial no Brasil em 2021, a soja com tecnologia INTACTA 2 XTEND® será a terceira geração de transgênicos trazida pela Bayer ao mercado nacional. Tolerante ao herbicida glifosato, a plataforma trará também uma nova ferramenta para o controle de plantas daninhas: o dicamba, que oferecerá um amplo controle de plantas daninhas de folhas largas, como a buva, caruru, corda-de-viola e picão-preto.

    “A Plataforma INTACTA 2 XTEND® oferecerá ao sojicultor mais opções para que ele possa manejar pragas em sua lavoura. Somado a isso, e para garantir que a soja com essa tecnologia se adapte às particularidades de clima e solo existentes no Brasil e aumente sua performance, utilizamos novos métodos de melhoramento genético para aumentar o alcance dos testes. No fim do dia, todos esses aspectos objetivam elevar o patamar de produtividade do agricultor”, explica Passos.

    Fonte: Agrolink