Daily Archives

3 de janeiro de 2019

  • Milho: quinta-feira inicia com leves desvalorizações na Bolsa de Chicago

    Os preços futuros do milho na Bolsa de Chicago (CBOT) iniciaram a quinta-feira (03) apresentando leves baixas. As principais cotações apresentavam desvalorizações entre 0,50 e 1 ponto por volta das 08h30 (horário de Brasília). O vencimento março/19 era cotado a U$ 3,75 por bushel e o maio/19 apontava U$ 3,83 por bushel.

    Segundo análise de Bem Potter da Farm Futures, as vendas mais lentas dos fazendeiros durante os feriados ajudaram algumas ofertas de base de milho a terem os resultados misturados durante a quarta-feira e o início dessa quinta-feira, com leves movimentos de alta ontem e leves baixas no pregão de hoje.

    Fonte: Notícias Agrícolas
  • Trigo: Clima afeta qualidade em 2018

    No início de 2018, o mercado de trigo registrava menor produção, grande volume importado e preços em alta, especialmente no Paraná e em São Paulo, conforme indicam pesquisadores do Cepea, atraindo produtores e elevando a área. Porém, com condições climáticas desfavoráveis, a qualidade do cereal desta temporada foi prejudicada. Quanto aos preços, no primeiro semestre do ano passado, período de entressafra argentina, a forte alta do dólar encareceu as importações de trigo e sustentou os valores no Brasil, de acordo com dados do Cepea. Já no segundo semestre, a oferta interna e os bons estoques das indústrias fizeram com que os preços caíssem, movimento que persistiu até outubro. De outubro a dezembro, compradores, preocupados com a possibilidade de novas altas nas cotações no início de 2019, estiveram ativos, sustentando os valores, principalmente no último mês do ano.

    Fonte: Cepea
  • Soja corrige últimas altas em Chicago e opera com leves baixas nesta 5ª feira

    Os preços da soja passam por uma correção nesta quinta-feira (3) após a alta de mais de 11 pontos no pregão anterior. As cotações, por volta de 8h10 (horário de Brasília), perdiam entre 1,50 e 2 pontos, com US$ 8,93 para o janeiro e US$ 9,17 por bushel no maio/19.

    O mercado segue especulando sobre a guerra comercial entre China e Estados Unidos e vem ampliando o espaço para as informações relativas às perdas no Brasil em função da seca.

    Ontem, a soja subiu mais de 1% diante das perspectivas de uma menor safra brasileira, como explicaram analistas e consultores. Ao mesmo tempo, as negociações entre Donald Trump e Xi Jinping também evoluem bem e favorecem o andamento das cotações.

    “A indicação de que os chineses retomaram seu movimento de compras de soja americana neste início de 2019 movimentou o mercado em Chicago. Mesmo sem confirmações por parte do governo americano, paralisado em função do impasse político nos Estados Unidos, o mercado encontrou suporte para elevações”, explicam os analistas da ARC Mercosul.

    Fonte: Notícias Agrícolas