1

Guerra comercial ainda preocupa indústria da soja

As incertezas da disputa comercial travada entre a China e os Estados Unidos ainda causam preocupação e ansiedade entre os membros da indústria global da soja. De acordo com dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o efeito da redução da China nas compras de soja deverá ser uma diminuição de 16 milhões de toneladas em uma base anualizada.

Nesse cenário, isso equivaleria a cerca de US$ 5,2 bilhões em receitas de exportação, com base nos preços atuais da soja exportada pelos EUA. O advogado da Dorsey & Whitney, Dave Townsend, que faz parte do Grupo Corporativo da empresa e de seus grupos de práticas de segurança e comércio tecnológico, revelou que o Congresso dos EUA e a administração de Donald Trump estão oferecendo US$ 3,6 bilhões em pagamentos aos produtores de soja dos EUA para compensar parcialmente a perda.

“As exportações de soja dos EUA têm sido lentas porque a China era o maior comprador”, disse Brett Cooper, diretor da Divisão de Commodities da Pacific INTL FCStone, afirmando que no início de dezembro, os EUA exportaram 13,3 milhões de toneladas, quase 10 milhões a menos do que no ano passado.

Para o ano comercial de 2018/2019, que termina em agosto desse ano, o USDA espera que os EUA tenham estoques de 25,99 milhões de toneladas, que é o maior já registrado. Nos 10 anos anteriores, a quantidade média de estoques de soja foi de apenas 5,5 milhões. “Os fazendeiros dos EUA estão em uma posição difícil porque acabaram de colher a maior safra de soja de todos os tempos (125 milhões de toneladas) e o maior cliente de exportação não está comprando a soja”, completa.

Fonte: Agrolink