Daily Archives

26 de março de 2019

  • Processamento de trigo no Brasil cresce 3,4% em 2018, diz Abitrigo

    SÃO PAULO (Reuters) – A indústria de moagem de trigo do Brasil processou 12,17 milhões de toneladas do cereal no ano passado, crescimento de 3,4 por cento ante os 11,77 milhões de 2017, informou nesta terça-feira a associação do setor Abitrigo.

    De acordo com a Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo), a área Norte/Nordeste respondeu pela maior parte da moagem, com 3,71 milhões de toneladas. Na sequência aparecem Paraná (3,47 milhões), Santa Catarina/Rio Grande do Sul (2,17 milhões), São Paulo (1,65 milhão) e Centro-Oeste/Minas Gerais/Rio de Janeiro/Espírito Santo (1,16 milhão).

    Fonte: Reuters

  • Tratar ou não tratar as sementes de milho, eis a questão

    Seguindo com dicas e conceitos sobre as Boas Práticas Agronômicas, hoje o assunto é o tratamento das sementes. Essa boa prática deve ser feita antes do plantio de milho porque o tratamento assegura o bom estabelecimento da nossa lavoura e um alto potencial produtivo.

    O tratamento de sementes, como o próprio nome já diz, é colocar na sua semente produtos químicos e/ou biológicos que vão agregar potencial produtivo ao material que você adquiriu. Esses produtos auxiliam na nutrição das plantas e/ou no combate a pragas e doenças que podem causar sérios danos logo no início da nossa lavoura. Outros benefícios do tratamento de sementes são a uniformidade da germinação, a menor necessidade de replantio e o melhor enraizamento e estabelecimento da lavoura.

    O milho segunda safra, na maioria das propriedades, vem logo depois da soja. Por isso, a presença de percevejos na área é bastante grande. Esse inseto, hoje, é uma das pragas que mais atacam o milho no Brasil e os danos que ele causa nos estágios iniciais da lavoura podem comprometer a produtividade e até matar a plântula. O monitoramento e o controle do percevejo devem ser feitos antes do plantio do milho e as sementes tratadas são uma das ferramentas que os produtores podem usar para isso.

    Basicamente o tratamento de sementes é realizado com fungicidas e inseticidas – são os mais comuns. Porém, outros produtos podem ser utilizados (micronutrientes, inoculantes, corantes) e a combinação deles também pode ser feita.

    Existem duas formas de se tratar as sementes: na fazenda (on farm) ou pelo sistema industrial (TIS). Se você optar por tratar sua semente na propriedade precisa tomar alguns cuidados e levar em conta todas as normas específicas para o tratamento, além de ter o maquinário para a função. O tratamento industrial de sementes faz parte das etapas do beneficiamento das sementes e é realizado com equipamentos de alta tecnologia.

    É muito importante lembrar que, depois de tratadas, as sementes só podem ser utilizadas para o plantio. Semente tratada NÃO PODE ser consumida por animais ou por nós, humanos.

    Recomendo o tratamento de sementes porque, além de todos os benefícios que vimos aqui, é importante considerar que ele tem custo baixo quando comparado às medidas de controle que devem ser tomadas em lavouras de sementes não tratadas. Não adianta investir em um material genético de alta qualidade e, na hora do plantio, ele não vingar, não é mesmo?

    Fonte: Canal Rural

  • Chicago registra milho estável nessa terça-feira

    A terça-feira (26) começa com a estabilidade dando as caras nos preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago. As principais cotações registravam movimentações entre 0,25 e 0,50 pontos negativos por volta das 09h10 (horário de Brasília).

    O vencimento maio/19 era cotado a US$ 3,79, o julho/19 valia US$ 3,89 e o setembro/19 era negociado por US$ 3,94.

    Segundo analistas da ARC Mercosul, a Bolsa de Chicago iniciou a semana sob um tom apático, sem interesse especulador no Mercado. O grande assunto dos bastidores tem sido as acusações sobre a interferência da Rússia nas eleições presidenciais dos EUA, em 2016.

    O vínculo já foi provado em corte norte-americana, entretanto nenhuma ligação direta com Trump foi confirmada. A grande questão tem sido a capacidade desta retórica na interferência na Guerra Comercial.

    “Nossos contatos de Washington dizem não acreditar que a reconciliação dos EUA e China será colocada sob ameaçada. A ARC lembra que Trump já foca na campanha de reeleição em 2020, sendo necessário cultivar o eleitorado do meio agrícola. O fim do conflito político com os asiáticos colocaria um ótimo cenário de preços para commodities agrícolas norte-americanas”, dizem.

    De acordo com Bryce Knorr da Farm Futures, apesar de o Cinturão do Milho ainda estar muito úmido e muito frio para o trabalho de campo e o plantio, os agricultores do Texas já semearam 38% de seus campos, acima da média de cinco anos de 31%.

    Fonte: Notícias Agrícolas

  • Soja tem pequenas baixas em Chicago nesta 3ª e mantém caminhada estável

    Os preços da soja têm leves recuos nesta terça-feira (26) na Bolsa de Chicago. O mercado devolve os ganhos do pregão anterior e, por volta de 7h55 (horário de Brasília), perdiam entre 1 e 1,50 ponto nos principais contratos. Assim, o maio/19 tinha US$ 9,05 e o agosto, US$ 9,25.

    “Os traders permanecem focados nas negociações entre China e Estados Unidos na medida em que os dois países se preparam para um encontro que acontece no final desta semana”, explicam os analistas da Allendale, Inc.

    Ao mesmo tempo, os mapas para o clima nos EUA mostrando que o excesso de chuvas para o Corn Belt ainda acontece nos próximos dias e a situação preocupa. Alguns estados podem receber de 25,4 a 101,6 mm de chuvas, em um cenário onde o execesso de umidade já preocupa.

    Atenção ainda ao posicionamento dos fundos, com cerca de 63 mil contratos vendidos na soja, ainda de acordo com a Allendale.

    Fonte: Notícias Agrícolas