1

Qualidade do solo foi pauta da 4ª Jornada Técnica da Soja Cotrijuc Getagri

O dia 18 de junho foi marcado por muito conhecimento, troca de experiências e orientações quanto ao bom manejo do solo para as altas produtividades.

As últimas décadas foram determinantes para que a agricultura pudesse provar do aumento de produtividade, entre 1975 e 2015, a taxa média de crescimento da produtividade agropecuária no Brasil foi de 3,58% ao ano.

Essa crescente se dá através de muita tecnologia investida por meio do plantio direto, desenvolvimento genético, técnicas de manejo e controle sanitário. Mas, como fator determinante vale ressaltar o manejo de fertilidade do solo, onde muitas vezes o agricultor investe em uma tecnologia sem conseguir explorá-la em todo seu potencial.

Pensando na importância da fertilidade do solo é que aconteceu a 4ª edição da Jornada Técnica da soja Cotrijuc Getagri com a apoio da RTC (Rede Técnica Cooperativa). O objetivo do evento foi reunir especialistas no assunto para discutir com produtores e pessoas ligadas a cadeia do agro a importância de boas práticas agrícolas, conservação e manejo adequado.

Você já acessou o nosso mercado online? Ainda não? Então CLIQUE AQUI e boas compras!

O presidente da Cotrijuc Caio Vianna deu as boas-vindas para os mais de 160 cooperados e assistidos da Getagri que marcaram presença, logo após, o Dr. Jackson Fiorin ministrou a palestra sobre Manejo do solo para altas produtividades e ressaltou que o interesse em maximizar a produção tem estimulado os produtores a adotarem práticas avançadas de manejo da cultura e do solo. “O sistema plantio direto (SPD) é uma das mais eficientes estratégias para melhoria do potencial produtivo. A melhoria da fertilidade do solo, através da utilização correta de corretivos e fertilizantes, é um dos fatores que determinam o sucesso da atividade agropecuária”, enfatizou.

Logo após o engenheiro Agrônomo Felipe Michelon mostrou os resultados do campo Tecnológico COTRIJUC / GETAGRI. “O trabalho realizado no Campo Experimental é importante para os produtores, pois é a partir desses estudos que eles vão basear as escolhas para sua lavoura. Assim, eles têm a oportunidade de melhorar suas produtividades, gerando renda para si e, consequentemente, riquezas para toda a cadeia produtiva”, explica o engenheiro agrônomo, Felipe Michelon, coordenador do Campo Tecnológico.

Dando sequência a programação, o Prof. Dr. Telmo Amado comandou sua apresentação sobre Manejo Conservacionista do Solo. Segundo o Professor, os desafios do produtor são grandes, especialmente, sob sistema plantio direto quando os insumos são aplicados em superfície ou na camada superficial, os resíduos vegetais também são depositados na superfície (nutrientes de ciclagem), existe ocorrência de camadas subsuperficiais compactadas (12 – 17 cm) caracterizadas pela elevada resistência a penetração (>2 MPa), elevada densidade e baixa porosidade e monocultivos associado ao descuido quanto a cobertura e rotação na entresafra.

Para encerrar, nossos painelistas fizeram um debate tendo como mediador o engenheiro agrônomo, Dr. Geomar Corassa da Rede técnica Cooperativa, e o público participou sanando dúvidas e interagindo com os palestrantes.