Daily Archives

1 de novembro de 2019

  • Estado investe mais de R$ 1 milhão para apoiar espaços da agricultura familiar em feiras regionais em 2019

    A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) investiu neste ano R$ 1.145.000 em recursos para viabilizar a participação de agroindústrias familiares, indígenas e quilombolas em feiras agropecuárias em todas as regiões do Estado. Até outubro, foram disponibilizados recursos para 36 feiras, com 789 espaços de comercialização (estandes montados). Até o final do ano, estão planejadas outras 12, totalizando 48 feiras municipais e regionais apoiadas em 2019.

    Entre as feiras destacam-se Expodireto-Cotrijal (Não-Me-Toque), Expoagro Afubra (Rio Pardo),  Fenadoce (Pelotas), ExpoBento (Bento Gonçalves), ExpoSol (Soledade), ExpoIjuí (Ijuí) e Expofeira (Pelotas). A Expointer não faz parte deste cálculo, já que os recursos para montagem do espaço são viabilizados em parceria com o governo federal.

    “O pavilhão da Agricultura Familiar tem se tornado referência em todas as feiras graças à mobilização e à dedicação tanto das agroindústrias quanto do trabalho do Estado”, afirma o secretário da Agricultura, Covatti Filho.

    Conforme o diretor de Agricultura Familiar e Agroindústria, para participar das feiras apoiadas pela Seapdr as agroindústrias devem estar inclusas no Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf). Após a inclusão no Peaf, o empreendimento está habilitado para solicitar a autorização de uso do selo Sabor Gaúcho em seus produtos. O selo é sinônimo de produção oriunda da agricultura familiar. O programa oferece uma série de serviços para as agroindústrias familiares, como qualificação técnica, incentivos financeiros para melhoria e legalização e assistência nas questões sanitárias, ambientais e tributárias.

    Além do apoio às agroindústrias, o Peaf dá aos consumidores a segurança de adquirir um produto rigorosamente em conformidade com as leis sanitárias e ambientais.

    Fonte: Secretaria de Agricultura e Pecuária do Estado.

  • Probióticos podem proteger abelhas

    Os probióticos, microorganismos benéficos mais conhecidos por promover a saúde intestinal em humanos, agora estão sendo usados por cientistas da Universidade Ocidental e do Instituto de Pesquisa em Saúde Lawson, no Canadá, para salvar colônias de abelhas do colapso. Um novo estudo publicado na revista Nature  ISME J  demonstra como os probióticos podem impedir uma infestação de colmeia bacteriana comum chamada American Foulbrood.

    “Os probióticos não são apenas para seres humanos”, disse Gregor Reid, Ph.D., professor da Faculdade de Medicina e Odontologia Western Schulich e presidente do Microbioma e Probióticos Humanos em Lawson. “Nossa ideia era que, se você pudesse usar micróbios benéficos para estimular a resposta imune ou atacar os patógenos que infectam as colmeias, talvez possamos ajudar a salvar as abelhas”, completa.

    As abelhas são uma parte importante do cenário cultural e econômico no Canadá e em todo o mundo devido ao seu papel na produção de alimentos, tanto pela polinização das culturas quanto pela produção de mel. No entanto, a população mundial de abelhas está ameaçada pela disseminação de vírus e bactérias que infectam colmeias. O trabalho anterior da equipe em um modelo de mosca da fruta sugeriu que o uso generalizado de pesticidas reduz a imunidade das abelhas e sua capacidade de lutar contra esses patógenos prejudiciais.

    “As colônias de abelhas são pequenos microcosmos de biologia realmente interessantes. Existem muitas abelhas individualmente, mas todas elas são geneticamente relacionadas e vivem em um espaço fechado”, disse Graham Thompson, Ph.D., professor associado da Western School of Science, que estuda a biologia e o comportamento social das abelhas. “Todo mundo é muito suscetível a doenças contagiosas e está demograficamente disposto a sair”, conclui.

  • Números e condições da safra 2019/2020 serão abordados em reunião

    Representantes do setor de trigo do estado de São Paulo voltam a se reunir no dia 07 de novembro para a última reunião da Câmara Setorial de 2019, que será realizada na sede do Sindicato da Indústria do Trigo no Estado de São Paulo (Sindustrigo).

    Na oportunidade, será apresentado o cenário atual da safra 2019/2020. “Esta é a última reunião do ano e será importante para debatermos os resultados obtidos neste período e as expectativas para a nova safra”, pontua o presidente da Câmara Setorial do Trigo, Nelson Montagna.

    O evento ainda traz, por meio da participação das principais cooperativas produtoras de trigo do estado, a estimativa e condições das colheitas da nova safra. Outro assunto que ganhará destaque durante o encontro será a atual Conjuntura Mundial do trigo e câmbio, apresentada por Pedro Sampaio, da Gavilon,

  • Chuva e umidade permanecem no RS nos próximos sete dias

    Na sexta-feira (1º), o ar quente e úmido seguirá predominando, com temperaturas superiores a 30°C, grande variação da nebulosidade e possibilidade de chuvas isoladas. Entre o sábado (2) e o domingo (3), o deslocamento de uma frente fria provocará chuva em todo Estado, com possibilidade de temporais, rajadas de vento e queda de granizo em áreas isoladas.

    Na segunda (4) e terça-feira (5), a propagação de uma área de baixa pressão manterá a nebulosidade e a chuva em todas as regiões, e novamente há risco de temporais isolados, sobretudo na Metade Norte. Na quarta-feira (6), o ingresso de ar seco manterá o tempo firme, com sol e temperaturas amenas em todo o Rio Grande do Sul.

    Os totais de precipitação previstos deverão oscilar entre 40 e 65 mm na maioria das localidades. Na Fronteira Oeste, Missões, Alto Vale do Uruguai e no Planalto os totais previstos oscilarão entre 80 e 100 mm, podendo superar 120 mm em alguns municípios do Noroeste Gaúcho.

    Fonte: Secretaria de Agricultura e Pecuária do Estado