1

Probióticos podem proteger abelhas

Os probióticos, microorganismos benéficos mais conhecidos por promover a saúde intestinal em humanos, agora estão sendo usados por cientistas da Universidade Ocidental e do Instituto de Pesquisa em Saúde Lawson, no Canadá, para salvar colônias de abelhas do colapso. Um novo estudo publicado na revista Nature  ISME J  demonstra como os probióticos podem impedir uma infestação de colmeia bacteriana comum chamada American Foulbrood.

“Os probióticos não são apenas para seres humanos”, disse Gregor Reid, Ph.D., professor da Faculdade de Medicina e Odontologia Western Schulich e presidente do Microbioma e Probióticos Humanos em Lawson. “Nossa ideia era que, se você pudesse usar micróbios benéficos para estimular a resposta imune ou atacar os patógenos que infectam as colmeias, talvez possamos ajudar a salvar as abelhas”, completa.

As abelhas são uma parte importante do cenário cultural e econômico no Canadá e em todo o mundo devido ao seu papel na produção de alimentos, tanto pela polinização das culturas quanto pela produção de mel. No entanto, a população mundial de abelhas está ameaçada pela disseminação de vírus e bactérias que infectam colmeias. O trabalho anterior da equipe em um modelo de mosca da fruta sugeriu que o uso generalizado de pesticidas reduz a imunidade das abelhas e sua capacidade de lutar contra esses patógenos prejudiciais.

“As colônias de abelhas são pequenos microcosmos de biologia realmente interessantes. Existem muitas abelhas individualmente, mas todas elas são geneticamente relacionadas e vivem em um espaço fechado”, disse Graham Thompson, Ph.D., professor associado da Western School of Science, que estuda a biologia e o comportamento social das abelhas. “Todo mundo é muito suscetível a doenças contagiosas e está demograficamente disposto a sair”, conclui.