1

“Agricultura inteligente” ganha espaço no campo

O campo está muito longe das imagens rurais típicas associadas à agricultura e representa a aplicação de IoT, inteligência artificial (IA), big data, veículos aéreos não tripulados (drones) etc. para otimizar a produtividade das culturas de maneira ambientalmente correta, de maneira sustentável. Com isso, a chamada “agricultura inteligente” vem ganhando espaço.

“De acordo com o Quinto Relatório do Comitê de Reitores, Conselho Indiano de Pesquisa Agrícola (ICAR), estima-se que a Índia atenderá apenas 59% de sua demanda total de alimentos até 2030. Em uma escala global, a demanda mundial por alimentos deverá dobrar em 2050. Portanto, as práticas agrícolas devem passar por uma mudança abrangente para enfrentar esses desafios de suprimento de alimentos “, afirma Deependra Kumar Jha, vice-chanceler da Universidade de Estudos sobre Petróleo e Energia (UPES).

Ele diz isso baseado na informação de que, nos Estados Unidos, até 80% dos agricultores usam tecnologia agrícola inteligente. “A educação agrícola tem um papel fundamental a desempenhar na transformação, mas, no formato tradicional, será incapaz de suprir as lacunas existentes. Portanto, há a necessidade de programas formais que ensinem maneiras inteligentes de fazer agricultura e atividades correlatas”, acrescenta Jha.

Na UPES School, os alunos matriculados na BSc Agricultura, BTech Food Technology e MSc Agricultura (Agronomia) aprenderão a usar a Inteligência Artificial para detectar doenças nas plantas ao estudo das aplicações da IoT na agricultura e como ela ajuda na otimização da água e do solo. Eles também estudarão o uso de drones em imagens de saúde das culturas, previsão de rendimento e pulverização de culturas.

Por: AGROLINK