1

Greve de transportes na França afeta mercado de cereais

Greves em andamento que interromperam as atividades ferroviárias e portuárias da França podem ter um forte impacto no setor de cereais, informou a Reuters citando atores da indústria de grãos francesa. A greve de um mês para o transporte público dificultou que os produtores de grãos levassem suas colheitas aos portos e fábricas.

A Intercereales, a organização francesa de grãos, disse em uma carta em 20 de janeiro que a situação agora é dramática para as exportações. “A indústria de grãos não pode ficar sem frete de trem, que é particularmente adaptado ao transporte maciço de grãos, nem sem portos para exportar quase 50% de sua produção”, disse a Intercereales em carta vista pela Reuters . “As greves … estão paralisando a campanha de marketing que deveria ser melhor do que nos anos anteriores”, completa.

Alguns produtores de alimentos para animais sofreram interrupções porque não conseguem produzir colheitas suficientes, de acordo com representantes do setor agrícola. A Intercereales disse que 450.000 toneladas de grãos no valor de cerca de 100 milhões de euros (US $ 111 milhões) foram bloqueadas nos portos franceses, indica a Reuters.

O grupo de lobby alertou que os clientes internacionais agora estão se voltando para origens alternativas, incluindo o norte da Europa, os países bálticos e o Mar Negro. Essa paralisação no transporte, que afeta trens, metrôs e ônibus desde 5 de dezembro, já é a mais longa da história da França. Superou a mobilização de 1986, quando os trabalhadores da companhia ferroviária francesa (SNCF) entraram em greve por 28 dias consecutivos.