1

Brasil tem 1º resultado positivo para coronavírus, mas ainda falta novo teste

O Brasil teve nesta terça-feira, 25, um primeiro teste positivo de coronavírus. Trata-se, segundo o Ministério da Saúde, de um homem de 61 anos, residente em São Paulo, com histórico de viagem para a Itália, na região da Lombardia (norte do país), a trabalho, sozinho, no período de 9 a 21 de fevereiro Ainda falta novo teste, que ocorrerá nesta quarta-feira, 26, para tratar o diagnóstico como confirmado.

Na tarde desta terça, o caso foi relatado pelo Hospital Israelita Albert Einstein como suspeito de coronavírus. Com resultados preliminares realizados pela unidade de saúde e de acordo com o Plano de Contingência Nacional, o hospital enviou a amostra para o laboratório de referência nacional, Instituto Adolfo Lutz, para contraprova.

Este processo de validação dos resultados está em curso e o Ministério da Saúde divulgará o laudo final da investigação oportunamente, segundo a pasta. A pasta recomenda, portanto, cautela sobre quaisquer informações que não sejam as oficiais, uma vez que a investigação não está concluída.

Anvisa busca lista de passageiros que voaram com brasileiro contaminado por coronavírus (em O Globo)

BRASÍLIA – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nota informando que, em virtude do resultado preliminar positivo de contaminação pelo coronavírus (Covid-19), solicitou à companhia aérea que trouxe o brasileiro da Itália a lista completa de passageiros e tripulantes. Segundo comunicado da Anvisa, a lista de nomes será repassada para Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) “para investigação de outros passageiros do voo que tiveram contato com o caso suspeito”.

A Anvisa informou ainda que vai reforçar os alertas para passageiros de voos que chegam do exterior, principalmente dos países onde já foram registrados casos da doença. Segundo o Ministério da Saúde, o caso do brasileiro será discutido na manhã desta quarta-feira numa reunião entre os dirigentes da Pasta. Logo após será divulgado oficialmente o resultado do exame de contra-prova realizado no paciente.

Hospital Albert Einstein informa que paciente com novo coronavírus não precisa de internação e ficará isolado (em O Antagonista)

O hospital Albert Einstein, em São Paulo, divulgou a seguinte nota sobre o primeiro caso de Covid-19:

“O Hospital Israelita Albert Einstein informa que recebeu na noite do dia 24 de fevereiro, na Unidade Morumbi, em São Paulo, um paciente com sintomas semelhantes aos do Covid-19, sendo confirmada a infecção viral pelo novo coronavírus após a realização do teste PCR em tempo real. Na manhã do dia 25 de fevereiro o caso foi notificado à Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo.

A equipe assistencial do Pronto Atendimento seguiu com rigor todos os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde, Organização Mundial de Saúde (OMS) e Centers for Disease Control and Prevention (CDC-EUA), para oferecer o atendimento apropriado e garantir a segurança do paciente e de todos os profissionais envolvidos.

O paciente encontra-se em bom estado clínico e sem necessidade de internação, permanecendo em isolamento respiratório que será mantido durante os próximos 14 dias. A equipe médica segue monitorando-o ativamente, assim como as pessoas que tiveram contato próximo com ele.

Desde o início da epidemia mundial, o Hospital Israelita Albert Einstein mantém uma agenda ativa de monitoramento do avanço de novos casos e evolução do cenário mundial. O Hospital, que conta com os mais avançados recursos diagnósticos e assistenciais para os atendimentos que se fizerem necessários, inclusive os mais graves, vem atuando no treinamento intensivo de seus colaboradores com o objetivo de assegurar a oferta de atendimento adequado, bem como a segurança de pacientes, familiares e funcionários.

O Hospital Israelita Albert Einstein reforça que os padrões de conduta em todas as situações têm como foco preservar a segurança de todos os pacientes da instituição e manter a excelência nos atendimentos de qualquer natureza.”

Estado no sul da Alemanha confirma caso de coronavírus

BERLIM (Reuters) – As autoridades confirmaram o primeiro caso de coronavírus no Estado alemão de Baden-Wuerttemberg, no sul do país, nesta terça-feira, depois que um homem de 25 anos que esteve recentemente em Milão deu positivo.

Em um comunicado, o Ministério da Saúde do Estado disse que o homem, que provavelmente foi infectado durante uma visita à Itália, entrou em contato com as autoridades depois de apresentar sintomas semelhantes aos da gripe. Ele seria levado para um hospital na noite de terça-feira, onde seria tratado isoladamente, acrescentou o ministério.

“As pessoas em contato próximo com o paciente serão mantidas em isolamento doméstico e serão questionadas sobre seu estado de saúde todos os dias”, afirmou o documento. “Assim que uma pessoa de contato desenvolver sintomas, eles também serão isolados no hospital.”

França relata duas novas infecções por coronavírus

PARIS (Reuters) – Mais duas pessoas foram infectadas com o coronavírus na França na terça-feira, um francês retornando de uma viagem à região da Lombardia, na Itália, e uma jovem chinesa retornando à França após uma viagem à China, disseram autoridades.

O diretor do Ministério da Saúde, Jerome Salomon, disse a jornalistas que os dois pacientes estavam no hospital e em boas condições. As duas novas infecções elevam o número total de pessoas infectadas na França para 14. Uma dessas 14 pessoas morreu e 11 foram curadas e deixaram o hospital.

Itália tem mais três mortes em surto de coronavírus no norte do país e total sobe a 10

ROMA (Reuters) – Mais três pessoas infectadas com o coronavírus morreram no norte da Itália, disse o chefe da agência de Proteção Civil nesta terça-feira, elevando para 10 o número de mortos pelo pior surto da doença na Europa.

Angelo Borrelli disse a jornalistas que os três mortos já tinham 80 anos e eram da região mais afetada, a Lombardia. Ele acrescentou que o número de casos confirmados aumentou para 322, a grande maioria deles no norte do país.

Espanha relata primeiro caso de coronavírus no continente

MADRI (Reuters) – A Espanha descobriu seu primeiro caso de coronavírus no continente nesta terça-feira, depois que um hotel de quatro estrelas nas Ilhas Canárias foi trancado para testes quando um hóspede e então sua esposa foram infectados.

O governo disse que uma mulher de Barcelona testou positivo para o vírus após uma recente viagem ao norte da Itália, que registrou mais de 280 casos.

Anteriormente, a porta-voz do governo, Maria Montero, disse que os hóspedes do hotel nas Ilhas Canárias “ficariam no hotel até este segundo teste e, dependendo dos resultados, serão tomadas medidas de saúde apropriadas”.

O hotel H10 Costa Adeje Palace em Tenerife não quis comentar, disse uma recepcionista da empresa de Barcelona que administra o hotel.

O convidado Christopher Betts disse por telefone do seu quarto que havia carros da polícia estacionados em todas as entradas.

“Nos disseram que estamos em quarentena devido a um médico italiano testando o coronavírus. O hotel parece estar agindo normalmente, exceto que não podemos sair”, disse ele.

As autoridades de saúde espanholas disseram que testariam hóspedes e funcionários do hotel. Na noite de segunda-feira, eles disseram que um médico italiano de férias em Tenerife havia testado positivo. Sua esposa deu positivo nesta terça-feira, informou o governo regional.

O italiano e sua esposa estavam agora isolados no hospital. Antes da segunda-feira, a Espanha havia identificado dois casos – um turista alemão em La Gomera, outra ilha Canárias e um britânico em Mallorca.

Ministro e parlamentar testam positivo para coronavírus enquanto mortos no Irã pelo vírus chegam a 16

DUBAI (Reuters) – O vice-ministro da Saúde do Irã e um membro do parlamento deram positivo para o coronavírus, conforme o número de mortos no país subiu para 16 e os iranianos temem que as autoridades possam estar subestimando a escalada do surto.

O Irã tem o maior número de mortes por coronavírus fora da China, onde o vírus surgiu em dezembro e mais de 2.600 morreram.

“Meu teste de corona é positivo … não tenho muita esperança de continuar vivendo neste mundo”, escreveu no Twitter Mahmoud Sadeghi, parlamentar de Teerã.

Também entre os infectados estava o vice-ministro da Saúde, que postou um vídeo online anunciando sua infecção, que foi mostrado na mídia estatal.

“Entre os suspeitos de estar com vírus, 35 (novos casos) foram confirmados e dois morreram devido à infecção por coronavírus”, disse o porta-voz do Ministério da Saúde Kianush Jahanpur. Ele disse que 95 pessoas foram infectadas em todo o Irã.

Jahanpur calcula o número de mortos em 15, mas a agência de notícias estatal disse mais tarde que uma pessoa infectada pelo vírus morreu na cidade de Saveh. Alguns relatórios não confirmados deram um número maior de mortes.

Preocupados com o fato de os números oficiais poderem subestimar a escala do surto do Irã, muitos iranianos foram às mídias sociais para acusar as autoridades de ocultar fatos.

O chefe da Universidade de Ciências Médicas da cidade sagrada xiita de Qom, Mohammad Reza Ghadir, expressou preocupação com “a disseminação das pessoas infectadas pelo vírus por toda a cidade”, acrescentando que o Ministério da Saúde proibiu a divulgação de figuras ligadas ao coronavírus.

As autoridades ordenaram o cancelamento nacional de shows e partidas de futebol e o fechamento de escolas e universidades em muitas províncias, e instaram os iranianos a ficarem em casa.

O Irã disse na segunda-feira que 900 casos eram suspeitos, descartando as reivindicações de um parlamentar de Qom que disse que 50 pessoas morreram na cidade, o epicentro do novo surto de coronavírus.

“É um visitante não convidado e nada auspicioso. Se Deus quiser, vamos superar … esse vírus”, disse o presidente iraniano Hassan Rouhani em um discurso televisionado.

O Irã, que confirmou suas duas primeiras mortes na semana passada em Qom, ainda não informou quantas pessoas estão em quarentena, mas a agência semioficial de notícias Mehr disse que 320 pessoas foram hospitalizadas.

Hóspedes e funcionários ficam ‘presos’ em hotel nas Ilhas Canárias após caso de coronavírus

MADRI (Reuters) – Um hotel quatro estrelas nas Ilhas Canárias, na Espanha, foi ‘trancado’ nesta terça-feira, com todos os hóspedes impedidos de partir até que outros exames sejam realizados após um caso de coronavírus, disse a porta-voz do governo Maria Montero.

“Fomos informados de que estamos em quarentena devido a um médico italiano testando o coronavírus. O hotel parece estar agindo normalmente, exceto que não podemos sair”, disse Christopher Betts, por telefone, de seu quarto no hotel. “Existem carros da polícia estacionados em todas as entradas.”

As autoridades de saúde espanholas disseram que testariam hóspedes e funcionários do hotel. Na noite de segunda-feira, eles disseram que um médico italiano em Tenerife havia testado positivo para o vírus.

O homem estava agora isolado no hospital. Ele foi o terceiro caso identificado na Espanha, depois de um turista alemão em La Gomera, outra ilha das Canárias, e um britânico em Mallorca.

“Por enquanto, os hóspedes ficam no hotel até o segundo teste e, dependendo dos resultados, medidas de saúde apropriadas serão tomadas”, disse Montero, acrescentando que a esposa do paciente foi isolada.

Betts, cidadão britânico de Leicestershire, disse que foi permitido tomar café da manhã no restaurante do hotel.

Os funcionários do hotel usavam máscaras, mas nenhuma foi fornecida aos hóspedes, disse Betts.

O hotel H10 Costa Adeje Palace não comentará sobre o assunto, disse uma recepcionista da empresa de Barcelona que administra o hotel.

O hotel tem capacidade para centenas de hóspedes, vários restaurantes e várias piscinas e está localizado a 50 metros da praia. Em sua página no Facebook, o H10 Costa Adeje Palace disse que planejava uma festa de carnaval na noite de quinta-feira.

Dezenas de milhares são esperados nesta semana nas Ilhas Canárias para festividades de carnaval.