1

Argentina controla gafanhotos com pulverização aérea

O Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa), da Argentina, trabalha em coordenação com equipes de pulverizadores aéreos para tentar controlar a praga de gafanhotos do deserto do Paraguai que se estabeleceu no nordeste do país, ameaçou o sul do Brasil e agora se dirige ao Uruguai. “Os gafanhotos se instalam à noite em grandes quantidades, em um pequeno volume de hectares, num raio de 5 a 25 ha”, explicou o aeroaplicador e membro da Federação Argentina de Câmaras Agro-Aéreas (Fearca) Guido Kindwerley.

“Continuamos com as ações conjuntas, neste caso no estabelecimento El Chañar, 55 km a oeste de Curuzú Cuatiá, para controlar a nuvem de gafanhotos. Trabalho em equipe”, publicou o Senasa, em seu perfil oficial na rede social Twitter. “Amanhã de manhã, se tivermos as condições e com a colaboração de @SRCorrientes e @CRAprensa e no município de Curuzú Cuatiá, serão realizados tratamentos para continuar diminuindo a população de gafanhotos. A colaboração dos produtores é fundamental”, disse em outra publicação.

Os insetos já percorreram as províncias de Formosa, Chaco e Santa Fe, agora chegaram a Corrientes e podem atravessar para Entre Ríos, embora no momento não tenha havido movimento da nuvem nesse último local. Kindwerley explicou que a organização está atuando “em coordenação com o Senasa, que são os que fazem todo o trabalho de monitoramento e detectam o local onde estão paralisados”.

“Você tem que se organizar para fazer o tratamento o mais cedo possível, deixar o avião cheio de combustível à noite para sair antes que ele acalme, chegar em um momento em que não se mexam, porque quando se movem não há mais oportunidade”, disse ele.