1

Plantio do trigo chega a 95% no Estado

O plantio do trigo já chega a 95% da área cultivada no Rio Grande do Sul. Segundo o Informativo Conjuntural publicado nesta quinta-feira (09/07) pela Emater/RS-Ascar, em parceria com a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, a semana foi marcada pela instabilidade com predomínio de tempo encoberto, temperaturas baixas e chuvas, que em muitos municípios os acumulados superaram a 100 milímetros. Os produtores aguardam a melhoria do tempo para dar continuidade aos plantios e ao monitoramento de pragas, doenças e ervas nas áreas já implantadas.

Na região da Emater/RS-Ascar de Santa Rosa, as lavouras de canola estão predominantemente na fase de desenvolvimento vegetativo (66%) e 29% já estão na fase de floração. O excesso de chuvas e a falta de sol da última semana prejudicou o desenvolvimento da cultura. Grande parte das lavouras já recebeu adubação nitrogenada; nas de semeadura mais tardia, a atividade deverá ser realizada assim que as condições de umidade do solo diminuírem. As geadas da sexta-feira (03/07) e do sábado (04/07), que atingiram as lavouras na fase reprodutiva (florescimento e início de enchimento de grãos), poderão ter impacto perceptível na maturação.

Na regional de Ijuí, a cultura da aveia branca está com desenvolvimento satisfatório e encontra-se em final de desenvolvimento vegetativo, evoluindo para o estágio reprodutivo. O tempo úmido favorece o aparecimento de sintomas de manchas foliares nas folhas baixeiras; há necessidade de monitoramento das lavouras e acompanhamento da evolução das doenças. Além disso, o aumento da emergência e desenvolvimento de ervas daninhas requerer que haja controle.

O plantio da cevada foi concluído na região de Erechim. Na regional de Ijuí, a cultura está com bom desenvolvimento vegetativo, boa densidade de plantas e crescimento rápido e vigoroso até o momento. A semeadura programada para a semana não foi realizada, pois as condições de umidade no solo não permitiram. Em geral, as lavouras estão em perfilhamento recebem adubação nitrogenada em cobertura e controle de ervas. A presença de manchas foliares está sendo monitorada, não necessitando controle.

CULTURAS DE VERÃO

A próxima safra de soja está sendo planejada pelos produtores que já encaminham amostragem de solo para análise laboratorial, aplicação de calcário quando necessário, controle de invasoras e aquisição de insumos, com o assessoramento técnico dos escritórios da Emater/RS-Ascar. As áreas de milho em período de entressafra recebem os manejos conforme as necessidades de melhorias para a próxima safra. Na regional de Pelotas, produtores de arroz estão satisfeitos com os rendimentos obtidos e também com os preços de comercialização, que têm se mantido com pouca variação.

OLERÍCOLAS

Em geral, a semana foi desfavorável aos fatores de produção e qualidade das hortaliças em praticamente todas as regiões do Estado. As fortes chuvas, baixas temperaturas, ventos fortes e baixa incidência de radiação solar prejudicam o crescimento e desenvolvimento das olerícolas. A condição de tempo úmido e chuvoso também favorece o surgimento de doenças fúngicas e bacterioses. As intensas chuvas também provocaram erosão/perda de nutrientes de áreas preparadas para plantio no modo convencional.

FRUTÍCOLAS

Na regional de Porto Alegre, a passagem de um ciclone atingiu com forte intensidade os bananais no Litoral Norte gaúcho. Estão sendo levantadas as perdas na cultura, que devem ficar acima dos 40% da produção potencial da região. Considerando que outras regiões produtivas de Santa Catarina também foram atingidas, pode se projetar redução de oferta.

Na regional de Ijuí, segue o plantio de frutíferas para recomposição de pomares e formação de pomar doméstico. Baixa procura por frutíferas para formação de novos pomares em grande escala. Na regional de Santa Rosa, frutíferas de clima temperado, de modo especial videiras e pessegueiros, estão sendo favorecidas com as baixas temperaturas no período de dormência, acumulando horas de frio para propiciar rebrote homogêneo e uma boa produtividade. A colheita da nogueira pecã chega ao final, com frutos de boa qualidade, mas com baixa produtividade. Inicia o tratamento de inverno das videiras com controle de cochonilhas e doenças foliares.