1

Veja como fica o tempo nesta sexta-feira (15)

Nesta sexta-feira (15/01) o predomínio do sistema da Alta da Bolívia ainda atua de forma significativa sobre o continente, mantendo as instabilidades de altitude em boa parte do país. Em conjunto, o Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN) ganhou força e está centrado no estado da BA. Esses sistemas, são vórtices que ficam nas camadas mais altas da atmosfera, e nas bordas desses vórtices os ventos ficam mais intensificados gerando instabilidades nas camadas abaixo. Além disso, temos o retorno dos jatos de baixos níveis, levando ar quente e úmido da região amazônica em direção ao centro-sul do país.

As instabilidades nas partes mais altas da atmosfera, em conjunto com o forte calor próximo à superfície e umidade disponíveis, serão os ingredientes para as chuvas no norte do país. Principalmente no setor oeste do estado do AM, AC, RR, sul do PA e no estado do TO, que também estará com as instabilidades influenciadas pelo VCAN. No norte do PA e RO, há condição para chuvas isoladas sem acumulados significativos. No AP, a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), continua atuando de forma significativa, portanto o tempo segue instável, com condiç?os para chuvas volumosas no litoral do estado.

Na região nordeste, devido à atuação do VCAN, a previsão é de acumulados expressivos no litoral, sul e oeste da BA, e entre os estados do MA e PI. Entretanto, como o VCAN impede a formação de nuvens de chuva no seu centro, nas áreas entre o norte BA ao CE o tempo segue mais seco, apenas com condição para chuva fraca e passageira nos litorais de PB, PE e RN.

No centro-oeste, as chuvas ficarão bem distribuídas em todos os estados e no Distrito Federal. Essa condição se dá devido ao transporte de ar quente e úmido da região amazônica pelos jatos de baixos níveis, semelhantes a rios voadores, além das instabilidades provocadas pelo calor em superfície, uma região de baixa pressão entre o Paraguai e MS e a influência da Alta da Bolívia nas partes mais altas da atmosfera. Com isso, em praticamente todo o estado do MT há condições para chuvas, e na faixa oeste do estado esses acumulados podem chegar aos 50mm. No estado do GO, os volumes mais significativos ficam no setor centro-sul e nas áreas adjacentes ao estado de MG. Já em MS, os acumulados mais expressivos ficarão entre o centro-sul e leste do estado.

O fluxo de umidade dos jatos de baixos níveis, também contribui para os volumes de chuvas no sudeste. Principalmente entre o leste de SP, que além da umidade amazônica, recebe a umidade do mar trazida pela circulação marítima. Em MG e no RJ a condição de chuva se mantém, porém com volumes menores do que os registrados nos últimos dias.

A umidade marítima também predomina no tempo entre SC e PR, principalmente na faixa leste dos estados. E essa condição deixa o tempo mais encoberto com a possibilidade de chuva a qualquer momento. No RS uma massa de ar quente e seco será predominante, elevando gradativamente as temperaturas, indicando a aproximação de um novo sistema de baixa pressão que dará origem a uma nova frente fria no sábado.

A presença do jato de baixos níveis (JBN) e o sistema de baixa pressão, vai provocar mudanças no tempo em parte do RS no sábado (16/01), onde haverá temporais isolados. Por conta disso, frente fria irá se formar no final do dia do sul ao oeste do RS e reforçará as instabilidades, resultante da influência do sistema de baixa pressão na região do Chaco e os fortes ventos nas camadas mais altas da atmosfera. Essas instabilidades influenciarão o tempo no RS e o PR e no MS, a medida que avançará no decorrer do dia 17, onde haverá condições para pancadas de chuva forte com chance de temporais isolados, sendo que do sul ao oeste do RS o tempo começará a ter pouca nebulosidade a partir da tarde. No dia 18 a instabilidade estará alinhada entre o MS e SC, e deverá provocar chuva forte em MS, em SC e no PR, com chance de acumulados expressivos do centro ao nordeste e ao litoral do PR.

Confira o Mapa de Chuvas para esta sexta-feira:

 

Temperaturas Máxima do Dia:

Informações da equipe Agrotempo