Daily Archives

1 de março de 2021

  • Previsão de corte nas chuvas para o Sul e frequencia de chuvaradas no centro-norte do País, diz LR Lazinski

    O La Niña vai continuar alterando o clima na América do Sul até pelo menos o final do ano (nicio da safra 21/22), afetando de maneira preocupante o andamento da safra no Brasil, alerta o agrometeorologista Luis Renato Lazinski, com base no modelo europeu de previsões meteorológicas.

    Para os próximos dias (até o dia 6/março) o cenário será uma prévia do que virá pela frente: chuvas constantes no Mato Grosso e Matopiba, precipitações acima da média no sudeste (incluindo Goiás e Triangulo Mineiro, além do Estado de SP e RJ/ES) e corte preocupante da umidade para o Sul.

    — “A antevisão que esse modelo nos dá é de corte acentuado nas chuvas para o Rio Grande. Preocupação maior será com a Argentina, Uruguai e norte do Paraguai. Para as lavouras gauchas essas previsões atingirão a fase crucial da soja, que é o momento do enchimento dos grãos”.

    — “Também a culturas de inverno serão prejudicadas, principalmente o trigo. Mas o que chama a atenção serão os impactos na safrinha de milho em Sta Catarina e Paraná”, acrescenta ele.

    Lazinski mostra as configurações do modelo europeu para os próximos 45 dias (até 12 de abril), e aconselha aos agricultores ajustarem seus planejamentos para evitar perdas.

    O agrometeorologista informa também que o La Niña permanecerá atuando sobre a America do Sul até o final do ano, afetando o inicio da próxima safra de verão (21/22), quando as chuvas deverão novamente chegar mais tarde do costume.

    — “O frio nese inverno será mais acentuado, alias ele já chegou, pois tivemos geadas em fevereiro na serra catarinense”, lembra ele. Outro efeito do La Niña será sobre a safra norte-americana que, após frio intenso dos ultimos dias, enfrentará continuidade da seca no centro-oeste (corn bealt).

    — “O fornecimento de grãos será comprometido”, conclui Luis Renato Lazinski.

    Fonte: Notícias Agrícolas.