Rosaura Bastos Bellinaso

Rosaura Bastos Bellinaso has created 382 entries

  • Brasil tem 1º resultado positivo para coronavírus, mas ainda falta novo teste

    O Brasil teve nesta terça-feira, 25, um primeiro teste positivo de coronavírus. Trata-se, segundo o Ministério da Saúde, de um homem de 61 anos, residente em São Paulo, com histórico de viagem para a Itália, na região da Lombardia (norte do país), a trabalho, sozinho, no período de 9 a 21 de fevereiro Ainda falta novo teste, que ocorrerá nesta quarta-feira, 26, para tratar o diagnóstico como confirmado.

    Na tarde desta terça, o caso foi relatado pelo Hospital Israelita Albert Einstein como suspeito de coronavírus. Com resultados preliminares realizados pela unidade de saúde e de acordo com o Plano de Contingência Nacional, o hospital enviou a amostra para o laboratório de referência nacional, Instituto Adolfo Lutz, para contraprova.

    Este processo de validação dos resultados está em curso e o Ministério da Saúde divulgará o laudo final da investigação oportunamente, segundo a pasta. A pasta recomenda, portanto, cautela sobre quaisquer informações que não sejam as oficiais, uma vez que a investigação não está concluída.

    Anvisa busca lista de passageiros que voaram com brasileiro contaminado por coronavírus (em O Globo)

    BRASÍLIA – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nota informando que, em virtude do resultado preliminar positivo de contaminação pelo coronavírus (Covid-19), solicitou à companhia aérea que trouxe o brasileiro da Itália a lista completa de passageiros e tripulantes. Segundo comunicado da Anvisa, a lista de nomes será repassada para Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) “para investigação de outros passageiros do voo que tiveram contato com o caso suspeito”.

    A Anvisa informou ainda que vai reforçar os alertas para passageiros de voos que chegam do exterior, principalmente dos países onde já foram registrados casos da doença. Segundo o Ministério da Saúde, o caso do brasileiro será discutido na manhã desta quarta-feira numa reunião entre os dirigentes da Pasta. Logo após será divulgado oficialmente o resultado do exame de contra-prova realizado no paciente.

    Hospital Albert Einstein informa que paciente com novo coronavírus não precisa de internação e ficará isolado (em O Antagonista)

    O hospital Albert Einstein, em São Paulo, divulgou a seguinte nota sobre o primeiro caso de Covid-19:

    “O Hospital Israelita Albert Einstein informa que recebeu na noite do dia 24 de fevereiro, na Unidade Morumbi, em São Paulo, um paciente com sintomas semelhantes aos do Covid-19, sendo confirmada a infecção viral pelo novo coronavírus após a realização do teste PCR em tempo real. Na manhã do dia 25 de fevereiro o caso foi notificado à Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo.

    A equipe assistencial do Pronto Atendimento seguiu com rigor todos os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde, Organização Mundial de Saúde (OMS) e Centers for Disease Control and Prevention (CDC-EUA), para oferecer o atendimento apropriado e garantir a segurança do paciente e de todos os profissionais envolvidos.

    O paciente encontra-se em bom estado clínico e sem necessidade de internação, permanecendo em isolamento respiratório que será mantido durante os próximos 14 dias. A equipe médica segue monitorando-o ativamente, assim como as pessoas que tiveram contato próximo com ele.

    Desde o início da epidemia mundial, o Hospital Israelita Albert Einstein mantém uma agenda ativa de monitoramento do avanço de novos casos e evolução do cenário mundial. O Hospital, que conta com os mais avançados recursos diagnósticos e assistenciais para os atendimentos que se fizerem necessários, inclusive os mais graves, vem atuando no treinamento intensivo de seus colaboradores com o objetivo de assegurar a oferta de atendimento adequado, bem como a segurança de pacientes, familiares e funcionários.

    O Hospital Israelita Albert Einstein reforça que os padrões de conduta em todas as situações têm como foco preservar a segurança de todos os pacientes da instituição e manter a excelência nos atendimentos de qualquer natureza.”

    Estado no sul da Alemanha confirma caso de coronavírus

    BERLIM (Reuters) – As autoridades confirmaram o primeiro caso de coronavírus no Estado alemão de Baden-Wuerttemberg, no sul do país, nesta terça-feira, depois que um homem de 25 anos que esteve recentemente em Milão deu positivo.

    Em um comunicado, o Ministério da Saúde do Estado disse que o homem, que provavelmente foi infectado durante uma visita à Itália, entrou em contato com as autoridades depois de apresentar sintomas semelhantes aos da gripe. Ele seria levado para um hospital na noite de terça-feira, onde seria tratado isoladamente, acrescentou o ministério.

    “As pessoas em contato próximo com o paciente serão mantidas em isolamento doméstico e serão questionadas sobre seu estado de saúde todos os dias”, afirmou o documento. “Assim que uma pessoa de contato desenvolver sintomas, eles também serão isolados no hospital.”

    França relata duas novas infecções por coronavírus

    PARIS (Reuters) – Mais duas pessoas foram infectadas com o coronavírus na França na terça-feira, um francês retornando de uma viagem à região da Lombardia, na Itália, e uma jovem chinesa retornando à França após uma viagem à China, disseram autoridades.

    O diretor do Ministério da Saúde, Jerome Salomon, disse a jornalistas que os dois pacientes estavam no hospital e em boas condições. As duas novas infecções elevam o número total de pessoas infectadas na França para 14. Uma dessas 14 pessoas morreu e 11 foram curadas e deixaram o hospital.

    Itália tem mais três mortes em surto de coronavírus no norte do país e total sobe a 10

    ROMA (Reuters) – Mais três pessoas infectadas com o coronavírus morreram no norte da Itália, disse o chefe da agência de Proteção Civil nesta terça-feira, elevando para 10 o número de mortos pelo pior surto da doença na Europa.

    Angelo Borrelli disse a jornalistas que os três mortos já tinham 80 anos e eram da região mais afetada, a Lombardia. Ele acrescentou que o número de casos confirmados aumentou para 322, a grande maioria deles no norte do país.

    Espanha relata primeiro caso de coronavírus no continente

    MADRI (Reuters) – A Espanha descobriu seu primeiro caso de coronavírus no continente nesta terça-feira, depois que um hotel de quatro estrelas nas Ilhas Canárias foi trancado para testes quando um hóspede e então sua esposa foram infectados.

    O governo disse que uma mulher de Barcelona testou positivo para o vírus após uma recente viagem ao norte da Itália, que registrou mais de 280 casos.

    Anteriormente, a porta-voz do governo, Maria Montero, disse que os hóspedes do hotel nas Ilhas Canárias “ficariam no hotel até este segundo teste e, dependendo dos resultados, serão tomadas medidas de saúde apropriadas”.

    O hotel H10 Costa Adeje Palace em Tenerife não quis comentar, disse uma recepcionista da empresa de Barcelona que administra o hotel.

    O convidado Christopher Betts disse por telefone do seu quarto que havia carros da polícia estacionados em todas as entradas.

    “Nos disseram que estamos em quarentena devido a um médico italiano testando o coronavírus. O hotel parece estar agindo normalmente, exceto que não podemos sair”, disse ele.

    As autoridades de saúde espanholas disseram que testariam hóspedes e funcionários do hotel. Na noite de segunda-feira, eles disseram que um médico italiano de férias em Tenerife havia testado positivo. Sua esposa deu positivo nesta terça-feira, informou o governo regional.

    O italiano e sua esposa estavam agora isolados no hospital. Antes da segunda-feira, a Espanha havia identificado dois casos – um turista alemão em La Gomera, outra ilha Canárias e um britânico em Mallorca.

    Ministro e parlamentar testam positivo para coronavírus enquanto mortos no Irã pelo vírus chegam a 16

    DUBAI (Reuters) – O vice-ministro da Saúde do Irã e um membro do parlamento deram positivo para o coronavírus, conforme o número de mortos no país subiu para 16 e os iranianos temem que as autoridades possam estar subestimando a escalada do surto.

    O Irã tem o maior número de mortes por coronavírus fora da China, onde o vírus surgiu em dezembro e mais de 2.600 morreram.

    “Meu teste de corona é positivo … não tenho muita esperança de continuar vivendo neste mundo”, escreveu no Twitter Mahmoud Sadeghi, parlamentar de Teerã.

    Também entre os infectados estava o vice-ministro da Saúde, que postou um vídeo online anunciando sua infecção, que foi mostrado na mídia estatal.

    “Entre os suspeitos de estar com vírus, 35 (novos casos) foram confirmados e dois morreram devido à infecção por coronavírus”, disse o porta-voz do Ministério da Saúde Kianush Jahanpur. Ele disse que 95 pessoas foram infectadas em todo o Irã.

    Jahanpur calcula o número de mortos em 15, mas a agência de notícias estatal disse mais tarde que uma pessoa infectada pelo vírus morreu na cidade de Saveh. Alguns relatórios não confirmados deram um número maior de mortes.

    Preocupados com o fato de os números oficiais poderem subestimar a escala do surto do Irã, muitos iranianos foram às mídias sociais para acusar as autoridades de ocultar fatos.

    O chefe da Universidade de Ciências Médicas da cidade sagrada xiita de Qom, Mohammad Reza Ghadir, expressou preocupação com “a disseminação das pessoas infectadas pelo vírus por toda a cidade”, acrescentando que o Ministério da Saúde proibiu a divulgação de figuras ligadas ao coronavírus.

    As autoridades ordenaram o cancelamento nacional de shows e partidas de futebol e o fechamento de escolas e universidades em muitas províncias, e instaram os iranianos a ficarem em casa.

    O Irã disse na segunda-feira que 900 casos eram suspeitos, descartando as reivindicações de um parlamentar de Qom que disse que 50 pessoas morreram na cidade, o epicentro do novo surto de coronavírus.

    “É um visitante não convidado e nada auspicioso. Se Deus quiser, vamos superar … esse vírus”, disse o presidente iraniano Hassan Rouhani em um discurso televisionado.

    O Irã, que confirmou suas duas primeiras mortes na semana passada em Qom, ainda não informou quantas pessoas estão em quarentena, mas a agência semioficial de notícias Mehr disse que 320 pessoas foram hospitalizadas.

    Hóspedes e funcionários ficam ‘presos’ em hotel nas Ilhas Canárias após caso de coronavírus

    MADRI (Reuters) – Um hotel quatro estrelas nas Ilhas Canárias, na Espanha, foi ‘trancado’ nesta terça-feira, com todos os hóspedes impedidos de partir até que outros exames sejam realizados após um caso de coronavírus, disse a porta-voz do governo Maria Montero.

    “Fomos informados de que estamos em quarentena devido a um médico italiano testando o coronavírus. O hotel parece estar agindo normalmente, exceto que não podemos sair”, disse Christopher Betts, por telefone, de seu quarto no hotel. “Existem carros da polícia estacionados em todas as entradas.”

    As autoridades de saúde espanholas disseram que testariam hóspedes e funcionários do hotel. Na noite de segunda-feira, eles disseram que um médico italiano em Tenerife havia testado positivo para o vírus.

    O homem estava agora isolado no hospital. Ele foi o terceiro caso identificado na Espanha, depois de um turista alemão em La Gomera, outra ilha das Canárias, e um britânico em Mallorca.

    “Por enquanto, os hóspedes ficam no hotel até o segundo teste e, dependendo dos resultados, medidas de saúde apropriadas serão tomadas”, disse Montero, acrescentando que a esposa do paciente foi isolada.

    Betts, cidadão britânico de Leicestershire, disse que foi permitido tomar café da manhã no restaurante do hotel.

    Os funcionários do hotel usavam máscaras, mas nenhuma foi fornecida aos hóspedes, disse Betts.

    O hotel H10 Costa Adeje Palace não comentará sobre o assunto, disse uma recepcionista da empresa de Barcelona que administra o hotel.

    O hotel tem capacidade para centenas de hóspedes, vários restaurantes e várias piscinas e está localizado a 50 metros da praia. Em sua página no Facebook, o H10 Costa Adeje Palace disse que planejava uma festa de carnaval na noite de quinta-feira.

    Dezenas de milhares são esperados nesta semana nas Ilhas Canárias para festividades de carnaval.

  • Seca está dizimando as lavouras de soja no planalto central do Rio Grande do Sul

    As chuvas esperadas para o planalto central do Rio Grande do Sul não aconteceram, e a safra gaucha entra em perído crítico. O risco de perdas se agrava e o experiente jornalista João Altair, radialista da Rádio Planalto, publicou alerta sobre o perigo que ronda a safra da soja. Segue seu relato:

    “O Rio Grande do Sul bateu o seu recorde na produção de soja no ano passado, chegando a 19 milhões de toneladas. Por um tropeço climático no Paraná, conquistamos a 2ª posição e ficamos atrás apenas do Mato Grosso, que colhe 34 milhões de toneladas.

    Neste ano, diante da atual seca que está dizimando as lavouras no Rio Grande do Sul, a pergunta é: quanto vamos colher nesta safra ?

    As entidades do setor Emater, Conab, Fecoagro  ainda não têm uma previsão. E até seria intempestiva a publicação de um numero porque os prejuízos no campo aumentam a cada dia.

    O problema se agravou a partir do  início desta semana quando as chuvas “prometidas”  não vieram.

    Nos últimos dias estive fazendo um roteiro pelos municípios de Ernestina (que está em situação de emergência), Nicolau Vergueiro, Marau e Água Santa. O cenário é desolador. A soja está morrendo sem conseguir frutificar.

    Encontrei uma lavoura de milho, onde o primeiro plantio foi perdido. O produtor insistiu, fez uma segunda plantação, na esperança de cobrir o prejuízo da primeira… e a nova  também está morrendo.

    Na memória dos produtores vêm a lembrança de 15 anos atrás, quando perderam a maior parte da safra de 2004/2005 para a estiagem.

    Não fosse a estrutura de solo que melhorou bastante nas últimas décadas com a introdução do plantio direto, a situação desta atual safra seria calamitosa.

    O engenheiro agrônomo Elmar Floss, explica que a fase crítica é o período de 15 a 20 dias em que pelo menos a metade das plantas começa a soltar vagem. As lavouras não conseguiram vencer essa fase com a  deficiência hídrica.

    — “A folha é a fábrica  da planta, é ela que pega a água e os nutrientes, o gás carbônico do ar  e a luz solar para fabricar tudo,  por isso precisa estar verde e sadia”, explica Floss.

    Nada disso se vê nos campos. Folhadas amareladas à força ou esbranquiçadas porque trocaram de posição em virtude do calor.

    O prefeito de Ernestina João Odir Bohem (Nico),  ao falar sobre o decreto de emergência, disse: “se chover nada vai mudar, se não chover vai piorar”.

    Verdade. Chover é necessário para evitar o agravamento, não só das lavouras,  mas das vertentes que estão secando. Mas, mesmo que venha chuva, o prejuízo não será recuperado.

    O Rio Grande do Sul faturou no ano passado R$ 21 bilhões com a soja (Valor Bruto da Produção – VBP), segundo o Ministério da Agricultura. Se colher a metade, serão pelo menos R$ 10 bilhões a menos na economia gaúcha.

    Quantos prédios deixarão de ser construídos, quantos automóveis a menos serão comprados? Quantos empregos a menos o RS terá? Qual será o impacto no comércio em geral?” (por João Altair, da rádio Planalto/Mundo Rural).

    MERCADO

    O analista Ginaldo de Souza, da Lahboro, em seu boletim dominical de mercado, confirma as perdas provocadas pela seca no Rio Grande do Sul e diz que o mesmo perigo ronda a safra da Argentina: “O tempo continuará predominante seco pelos próximos 10 dias”, diz Ginaldo. “As chuvas na Argentina precisam voltar até o dia 5 de março sob pena de começar prejudicar as lavouras que estão em fase de enchimento, que já ultrapassa 60%.”

    Sobre as compras da China, Ginaldo considera que “muito provavelmente a China vai continuar comprando soja brasileira até agosto e deverá comprar soja safra nova americana para embarque a partir de setembro”.

    O mercado abriu em queda forte em Chicago, repercutindo as noticias da expansão da epidemia de coronavirus, que ameaça transformar-se em pandemia. Nesta manhã de segunda-feira, por volta das 7 hrs (BR), a soja perdia 10 cents, em media, nos 3 principais vencimentos. Março, maio e junho já trabalham abaixo de 9 cents. O petroleo perdia 3,5%, seguido por algodão e café, com perdas semelhantes.

    PREVISÃO

    O inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) confirma chuvas para o sul do país com a frente do dia 26, terça para quarta-feira. Elas, no entanto, deverão se concentrar no norte do Estado. Há previsão de chuvas para a região de Passo Fundo, mas segue o temor que a metade sul (região de Sta Maria) fique com baixa umidade.

    De acordo com o Inmet ” uma nova frente fria deve avançar pelo sul do país entre terça e quarta-feira, fazendo com que o Rio Grande do Sul tenha ao menos um dia de chuvas com volumes expressivos. Mais uma vez, os sistemas passam de maneira muito rápida pelo sul do país. “

  • Robô argentino quer substituir glifosato

    Já imaginou um robô autônomo que retira as plantas daninhas da lavoura sem aplicar nenhum agroquímico? Esta tecnologia já não é novidade para os hermanos. A máquina é chamada de Gbot, desenvolvida por uma empresa de Rosário, Província de Santa Fé, na Argentina, e está despertando a curiosidade de produtores locais sobre a eficiência e a economia do custo de produção que teriam sem precisar comprar herbicidas.

    O robô é um laboratório móvel. Equipado com sensores que fazem a identificação do solo e das culturas, coletando dados a campo como: umidade do solo, pressão atmosférica, ph, salinidade, temperatura e compactação do solo. A partir dessas informações são gerados mapas com aplicação na agricultura de precisão. Com raios laser e vapor de água ele faz a eliminação das plantas daninhas. Além de tudo o pequeno Gbot é ecologicamente correto: tem uma placa fotovoltaica e é movido a energia solar. O euqipamento já tem patente internacional para controle de daninhas.

    “A maior parte dos nossos clientes é do setor agro e sempre nos traziam a questão de que, cada vez mais, precisacvam usar mais pesticidas para controlar as daninhas na lavoura. Como já vinhamos trabalhando muito em robótica e inteligência artificial, juntamos esta tecnologia com o problema e provamos que as ondas eletromagnéticas eliminavam as plantas indesejáveis na lavoura”, disse Gonzalo Saravia, CEO da Gbot, a um portal de notícias local.

  • Adaptação genética ajuda sorgo a evitar a “bruxa”

    Um estudo da Penn State, dos Estados Unidos, descobriu que uma adaptação genética que ajuda as culturas de sorgo a evitarem a praga “bruxa”. Alterações no gene LGS1 afetam alguns dos hormônios da colheita, dificultando a localização de parasitas no solo, pelo menos em algumas regiões.

    A erva-bruxa é uma das maiores ameaças à segurança alimentar na África, pois causa perdas anuais de bilhões de dólares em colheitas. Tem uma variedade de convidados, incluindo o sorgo, a quinta maior safra de cereais do mundo. “Queríamos saber se as plantas de sorgo em áreas com alta prevalência de parasitas se adaptaram localmente por ter mutações no LGS1”, disse Jesse Lasky, professor assistente de biologia da Penn State e principal autor do artigo.

    “Pensamos frequentemente na adaptação local das culturas agrícolas no que diz respeito a fatores como temperatura, seca ou salinidade. Por exemplo, se plantas em uma região particularmente seca fossem adaptadas localmente para ter genes associados à tolerância à seca, poderíamos potencialmente produzir plantas com esses genes para resistir à seca. Queríamos saber se você pode ver esse mesmo tipo de adaptação local a algo biótico, como um parasita”, indica.

    Os pesquisadores modelaram a prevalência de bruxas na África e compararam a presença de mutações no LGS1 que, acredita-se, conferem alguma resistência ao sorgo. Eles descobriram que essas mutações eram mais comuns em áreas com alta prevalência de parasitas, sugerindo que as plantas de sorgo nessas áreas podem ser adaptadas localmente para lidar com o parasita.

  • Dia de Campo – Campo Tecnológico Cotrijuc / Getagri

    O Dia de Campo Cotrijuc Getagri ocorre nas tardes dos dias 19 e 20 de fevereiro, no Campo Tecnológico. Nesta edição foram implantados trabalhos com cultivares, fungicidas, herbicidas, inseticidas, manejo de fertilidade, manejo de rotação de culturas, entre outros, onde se busca novas tecnologias para auxiliar o cooperado na missão de produzir e rentabilizar. A área está localizada na propriedade do Sr Davio Ferrari, a 5Km de Júlio de Castilhos, em direção a Santa Maria.

    Outra inovação deste ano são as inscrições online, CLICANDO AQUI, ao clicar você será direcionado para o formulário de inscrição. Ao antecipar as informações dos dados, no dia do evento será facilitado o processo de credenciamento. Faça essa experiência!

    Também, serão disponibilizados ônibus para o evento.

    Dia 19 de fevereiro, será realizada uma caravana saindo de Pinhal Grande, passando pelo Rincão do Appel e Itaúba. Os interessados em participar devem informar seu nome junto a loja agropecuária de Pinhal Grande ou na Unidade de Grãos de Pinhal Grande, através do telefone 55 3278-1215 ou pelo 55- 99700-0257. Haverá uma Caravana vindo de Ivorá, passando por Três Mártires e Val de Serra. Os interessados devem entrar em contato com as Unidades da Cotrijuc de Ivorá e Três Mártires pelo 3267-1011 ou 3289-5015

    Já no dia 20 de fevereiro Outra caravana sairá de São João dos Mellos, passando por Santa Terezinha e Santo Antão. Os participantes devem informar a Ivete Zanon. Ela está organizando a vinda do ônibus. Mais informações pelo 55 98434-8095;

     

  • Sociedade Rural Brasileira elege primeira presidente mulher em um século de história

    Teresa Vendramini, 60 anos, é a nova presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB). Essa é a primeira vez que uma mulher ocupa o cargo na entidade em sua história centenária. Aproximar os produtores rurais dos demais elos da cadeia produtiva e fortalecer a imagem de uma das mais tradicionais e representativas instituições agropecuárias são os principais desafios em seu mandato.

    Graduada em Sociologia e Política pela FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo), Teresa Vendramini é produtora rural, com fazendas de gado no interior paulista e sul-mato-grossense. Na gestão de seu antecessor, Marcelo Vieira, ela foi diretora da entidade e responsável pela criação do departamento de pecuária.

    Mãe de Fernanda e avó de Joquinha, e Antonio, Teka, como é carinhosamente conhecida no meio, também é aclamada por movimentos femininos do agronegócio, por chamar a atenção da sociedade civil e do governo ao protagonismo da mulher no campo. “As mulheres estão criando correntes sólidas em torno dos sindicatos rurais, cooperativas ou mesmo em grupos independentes. Uma característica reveladora em todas elas é a busca constante por conhecimento”, comenta Teresa.

    O comentário é endossado por levantamentos de instituições renomadas como a Esalq/USP, onde o sexo feminino representa mais de 50% dos alunos dos cursos de Medicina Veterinária, Zootecnia e Agronomia. Em pesquisa realizada em 2017, 88% das mulheres entrevistadas no campo se declararam independentes financeiramente e 45% confirmaram participar da renda familiar.

    “Foi desafiador representar uma legião de mulheres prontas para reivindicar sua liderança no agronegócio, mostrando o que pensam, o que temem e de que maneira trabalham”, diz Teresa, destacando a grande proporção e velocidade com que este movimento está acontecendo.

    Nos últimos anos, a pecuarista, à frente da diretoria da SRB, ministrou dezenas de palestras incentivando mulheres a assumir o negócio, além de enfrentar os desafios de mercado e das dificuldades em um universo ainda predominantemente masculino. Este trabalho chamou a atenção da executiva Cristina Xavier, autora do Livro “Mulher Alfa”, em que Teresa é uma das personagens escolhidas para relatar sua trajetória no agronegócio. “Grande parte das decisões do agro passarão pelas mãos das mulheres nos próximos anos”, enfatiza Teresa.

    Administração com pulso firme

    Representar uma entidade como a Sociedade Rural Brasileira exigirá pulso firme de Teresa nas tomadas de decisões, principalmente nas articulações junto ao governo e demais esferas, sejam elas de âmbito técnico ou político.  Isso porque a SRB age diretamente no Executivo, Legislativo e Judiciário, questionando decisões arbitrárias e colaborando no aperfeiçoamento de normas e regulamentações impactantes na vida do produtor e na competitividade do agronegócio.

    Na administração anterior, por exemplo, a SRB canalizou esforços contra o fim da Lei Kandir, a cobrança do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (FETHAB), no Estado do Mato Grosso, e a proposta da Moratória da Soja no Cerrado. Defendeu as reformas Tributária e Previdenciária como mecanismo de equilíbrio das contas públicas, além da viabilização da venda de terras para estrangeiros, a regulamentação das Cotas de Reserva Ambiental (CRAs) e a criação do MP do Agro, que está prestes a entrar em pauta na Câmara do Deputados.

    Todas as estratégias e iniciativas tendem a ser definidas em conjunto com outras entidades, como o Instituto Pensar Agro (IPA), braço técnico e associativo da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), da qual a SRB é cofundadora. No Estado de São Paulo, é criadora do Fórum Paulista do Agronegócio (IPA Paulista), organização que atua em defesa do agronegócio paulista na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) e Governo Estadual.

    Teresa garante estar preparada para tantas responsabilidades. Nos últimos anos, ela participou ativamente de inúmeras discussões relacionadas à cadeia produtiva da bovinocultura no Ministério da Agricultura, em assembleias legislativas e até mesmo no exterior. Colaborou na mobilização dos produtores na Assembleia Legislativa de São Paulo contra a aprovação do Projeto de Lei 31/18, que proíbe o embarque fluvial e marítimo de animais para abate dentro do estado.

    Ainda apresentou os principais questionamentos dos produtores em relação ao Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA) ao Ministério da Agricultura. Em paralelo, reforçou junto à Federação das Associações Rurais do Mercosul o compromisso brasileiro no combate à doença em países do bloco.

    Presença no campo

    Nascida em Adamantina (SP), Tereza Vendramini é filha e neta de produtores rurais com 80 anos de tradição na criação de gado, mas o desejo em assumir os negócios da família veio somente aos 40 anos, mesmo com pouca experiência e conhecimento na área.

    Para otimizar os lucros e reduzir os custos da atividade, procurou ajuda na Embrapa e até foi homenageada durante as comemorações dos 45 anos da entidade.  “Fiquei emocionada com tal reconhecimento. Até hoje lembro da maneira exata com a qual fui apresentada: ‘Representa o Agro que o Brasil precisa: arrojado, ousado, bem informado e realizador”, relembra Teka.

    Modernizou a propriedade investindo em tecnologia, infraestrutura, pastos de boa qualidade, manejo nutricional, sanitário, bem-estar animal e uso racional da água. “Um agrônomo e um veterinário assistem ao nosso trabalho, algo que considero ser decisivo à maior competitividade”, diz a presidente eleita da SRB.

    Uma referência feminina muito forte da adolescência da nova presidente da Sociedade Rural Brasileira é a Dona Chiquinha, a avó, que acompanhava o avô nas viagens à fazenda, mesmo com todas as dificuldades da época. “Ela sempre o apoiou e, de alguma maneira, influenciou em suas decisões”, conclui Teka.

  • USDA sobe safra de soja do Brasil para 125 mi de t e reduz estoques finais dos EUA; estoques de milho mantidos

    O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe seu novo boletim mensal de oferta e demanda confirmando as expectativas do mercado com redução nos estoques norte-americanos e aumento das exportações de soja. Mais do que isso, como também era esperado, revisou para cima a safra do Brasil.

    SOJA EUA

    As exportações de soja dos EUA foram estimadas em 49,67 milhões de toneladas, contra 48,31 milhões do boletim de janeiro. Já o esmagamento foi mantido em 57,29 milhões. Em contrapartida, os estoques finais foram revisados de 12,93 para 11,57 milhões de toneladas, abaixo da média esperada pelo mercado.

    SOJA MUNDO

    A safra brasileira foi estimada em 125 milhões de toneladas, contra 123 milhões da projeção do mês passado. O número fica ainda acima do esperado pelo mercado de 123,8 milhões e do trazido pela Conab nesta terça-feira, de 123,2 milhões. A produção da Argentina, por outro lado, foi mantida em 53 milhões de toneladas.

    O USDA trouxe ainda um aumento estimado para as exportações brasileiras de soja – de 76 para 77 milhões de toneladas – e a projeção de um aumento das importações chinesas para 88 milhões de toneladas de soja, enquanto eram estimadas 85 milhões há um mês.

    A produção global da oleaginosa também subiu e passou de 337,7 para 339,4 milhões de toneladas, enquanto os estoques finais globais foram de 96,67 para 98,86 milhões nas estimativas do USDA.

  • A importância da utilização de fungicidas multissítio na cultura da soja

    A resistência dos fungos aos fungicidas tem colocado à prova os manejos tradicionais para controle de doenças da soja. No Brasil, já é conhecida a menor sensibilidade de Phakopsora pachyrhizi, agente causal da ferrugem, aos principais grupos de fungicidas utilizados no manejo da doença (triazois, estrobilurinas e carboxamidas). Existem ainda, relatos de resistência de mancha alvo aos benzimidazóis, da mancha olho de rã às estrobilurinas e, mais recentemente, na Bolívia, do crestamento de cercospora às estrobilurinas.

    Dentre as práticas que contribuem para o aparecimento da resistência dos fungos aos fungicidas estão, além de características inerentes de cada patógeno, a utilização de fungicidas somente em ações curativas, a realização de intervalos muito longos entre as aplicações, a utilização de sub-doses ou doses muito maiores do que as recomendadas pelos fabricantes, o uso repetido do mesmo fungicida em aplicações sequenciais, a presença de plantas voluntárias na entressafra e a baixa utilização de fungicidas multissítios.

    INSCREVA-SE AGORA MESMO EM NOSSO DIA DE CAMPO

    Os fungicidas multissítios são ferramentas essenciais no manejo de doenças. Estes reduzem os riscos de desenvolvimento de resistência em função de atuarem em diversos locais da célula dos fungos, contribuindo para a sustentabilidade do manejo e para o controle mais efetivo de doenças.

    Além do uso de fungicidas multissítio, outras estratégias, como a semeadura em período recomendado, a utilização de cultivares de ciclo mais precoce e de cultivares com genes de resistência à ferrugem, a adoção do vazio sanitário e o uso de fungicidas de acordo com seu modo de ação, são importantes para prolongar a vida útil dos fungicidas sítio específicos disponíveis no mercado.

    *Caroline Wesp Guterres possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de Passo Fundo (2002), mestrado (2005) e doutorado em Fitotecnia (Fitopatologia) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) (2011) e trabalha como pesquisadora na área de Fitopatologia na Cooperativa Central Gaúcha LTDA, em Cruz Alta, RS.

    *Por Caroline Wesp Guterres

  • RS: temperaturas elevadas e baixo volume de chuva

    Os próximos sete dias deverão permanecer com baixos volumes de chuva na maior parte do Rio Grande do Sul, de acordo com o Relatório Oficial nº 4, elaborado pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, a Emater-RS e o Irga.

    Na sexta-feira (7), o tempo seco e quente vai predominar, com temperaturas superiores a 35°C na maioria das regiões e próximas de 40°C na Fronteira Oeste e Missões. Apenas nas faixas Norte e Nordeste há possibilidade de pancadas de chuva associadas ao forte calor. No sábado (8) e domingo (9), a cobertura de nuvens aumenta e haverá condição de chuva em todo o Estado, com possibilidade de temporais isolados.

    Na segunda-feira (10), ainda ocorrerão pancadas de chuva nas faixas Norte e Nordeste, enquanto o ingresso de ar seco garantirá o tempo firme no restante do Rio Grande do Sul. Na terça (11) e quarta-feira (12), o tempo permanecerá seco e com temperaturas amenas em todas as regiões.

    Os totais de chuva estimados para o período deverão permanecer baixos na maior parte do Estado. Na Metade Sul são esperados volumes inferiores a 10 mm. Nas demais áreas, a previsão indica valores acumulados entre 10 e 35 mm na maioria das localidades, e somente nos Campos de Cima da Serra e no Litoral Norte há estimativa de valores superiores a 40 mm.

    Soja segue em desenvolvimento
    A soja retomou o desenvolvimento com a normalização das chuvas, apesar da sua distribuição desuniforme. As fases da lavoura são as seguintes: 24% na fase de desenvolvimento vegetativo, 33% em floração, 42% na fase de enchimento de grãos e 1% maduro e por colher.

    Segundo dados levantados pelo Irga, 0,05% da área cultivada do arroz foi colhida, com 76% da lavoura orizícola no estádio reprodutivo. A avaliação ainda é de que as condições atuais são melhores do que as apresentadas na safra passada.

    Na cultura do milho, as chuvas no período contribuíram para melhorar a situação das lavouras, mas em algumas regiões as perdas estão consolidadas. As fases da lavoura são as seguintes: 13% em germinação e desenvolvimento vegetativo, 11% em floração, 22% em enchimento de grãos, 21% maduro e 33% do total já foram colhidos.

  • Exportações de carne suína crescem 41% em janeiro

    As exportações de carne suína do Brasil (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 68,5 mil toneladas em janeiro, segundo levantamentos da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). O número é 41% superior ao registrado no primeiro mês de 2019, quando foram embarcadas 48,5 mil toneladas.

    A receita das vendas foi de US$ 164,1 milhões, resultado 78,9% maior que saldo registrado em janeiro de 2019, com US$ 91,7 milhões.

    A China se manteve como carro-chefe das exportações brasileiras.  Destino de 30,6 mil toneladas (45% do total), o país asiático cresceu suas importações em 252% na comparação com o mesmo período do ano passado, com 8,7 mil toneladas.

    “A demanda chinesa se manteve elevada ao longo do mês de janeiro.  É um fator importante no impulso das exportações brasileiras”, analisa Francisco Turra, presidente da ABPA.

    Outros mercados também mantiveram o ritmo das vendas. É o caso de Hong Kong, cuja importações aumentaram 93% no mesmo período comparativo. Vietnã também elevou as importações em 330%.

    “Apesar da notável influência chinesa, outros destinos da Ásia e da América do Sul ajudaram a manter a forte alta do resultado mensal, que é o maior saldo histórico já registrado durante o mês de janeiro e acena para um resultado positivo em 2020”, analisa Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA.

    VEJA TAMBÉM